Home > Notícias
04/05/2021

Governo reedita programa BEm

A Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) avalia como positiva a reedição do Benefício Emergencial (BEm), ferramenta que permite às empresas a redução ou suspensão do contrato de trabalho como forma de preservação de empregos diante dos impactos da Covid-19.

Embora não tão ampla como a medida de 2020, a avaliação da entidade é de que o benefício irá "socorrer" a indústria neste momento de crise gerada pelo recrudescimento da Covid-19 e o fechamento do varejo em grandes centros de consumo nos meses de março e abril. "A indústria calçadista sofreu um impacto muito significativo ao longo de 2020, acima da média da indústria de transformação em geral. Ao mesmo tempo que responde rapidamente aos estímulos da demanda, a indústria também vai precisar de políticas públicas que estimulem o setor", avalia o presidente-executivo da Abicalçados, Haroldo Ferreira.

Conforme a Abicalçados, no ano passado a medida de suspensão ou redução da jornada de trabalho, com complementação de parte do salário por parte do Governo Federal, foi utilizada por quase 80% das indústrias calçadistas, ajudando a preservar empregos. "Em 2020 perdemos mais de 21 mil postos, número que certamente seria ainda maior não fosse a possibilidade do BEm", aponta Ferreira. Atualmente, o setor emprega diretamente mais de 265 mil pessoas.